banner concurso_interno.jpg

REGULAMENTO

2º Concurso de Vinhos Escanções de Portugal

 

Biológicos, Brancos, Tintos, Rosés, Espumantes, Aguardentes, Generosos e Licorosos

-2021-

Lisboa, Abril de 2021

1- O Concurso de Vinhos Escanções de Portugal tem por objectivo a atribuição da distinção “Tambuladeira dos Escanções de Portugal”, a vinhos engarrafados, a qual é da responsabilidade da Associação dos Escanções de Portugal, adiante referida como A.E.P.

 

2- A distinção “Tambuladeira dos Escanções de Portugal” será atribuída anualmente, através do Concurso de Vinhos Escanções de Portugal, até que o concurso seja suspenso ou extinto, cabe à A.E.P. avaliar o seu término ou não.

 

3.1.- O Concurso de Vinhos Escanções de Portugal, destina-se a todos os produtores, e é aberto aos vinhos e vinhos biológicos, tranquilos, espumantes, aguardentes, generosos e licorosos, produzidos em Portugal, com direito a Denominação de Origem ou Indicação Geográfica, que indiquem casta e/ou ano de colheita na rotulagem, nos termos da Portaria nº 199/2010, de 14 de Abril.

3.2.- Só serão aceites a concurso os vinhos que cumpram a legislação nacional e comunitária em vigor.

3.3.- Cada produtor apenas poderá submeter a concurso o que entender e que disponha dentro das categorias assinaladas no ponto 3.1.

 

4.1.- Nos termos da legislação em vigor, todos os vinhos devem estar engarrafados em recipientes de capacidade inferior ou igual a 2 litros, indicar na respetiva rotulagem, devidamente aprovada pelas respetivas entidades certificadoras (CVR e/ou OC), bem como pelo IVV, a sua origem e ano de colheita, e estar munidos de um dispositivo de fecho não recuperável.

4.2.- Os vinhos admitidos a concurso devem corresponder a um único lote homogéneo proveniente, no momento do engarrafamento, do mesmo depósito, devendo estar disponíveis para o mercado, pelo menos, 1000 litros.

 

5.1. - Na sequência da recepção das amostras, a organização procederá ao controlo e catalogação dos vinhos admitidos a concurso, procedendo inicialmente à sua agregação por categoria, consoante sejam vinhos biológicos e/ou convencionais, tranquilos, espumantes, aguardentes, generosos, licorosos e espirituosos em função das suas características e categorias, no respeito pela tipicidade das regiões bem como a data de colheita.

5.2. – A não identificação do ano de colheita não será motivo de exclusão.

 

6.1.-Todos os vinhos admitidos a concurso são sujeitos a uma prova cega efectuada por um número mínimo de três provadores, atendendo à situação causada pelo COVID-19 e às sérias restrições a deslocações e proximidade social em vigor, doravante denominado painel, que obedecerá à seguinte composição:

- 2 Escanções

- 1 Convidados da AEP (Formadores /Técnicos de Restauração / Blogger / Enófilo)

6.2.- Cada painel de provadores terá um presidente, escolhido entre os seus membros, sendo que haverá ainda o Presidente do Concurso.

 

7- A selecção dos painéis e a designação dos seus presidentes é da responsabilidade da Direcção da A.E.P., podendo os painéis e a sua composição sofrer alterações, de ano para ano, consoante a A.E.P., o tenham por conveniente.

 

8- Após a realização da prova cega, os vinhos serão pontuados, de 0 a 100, por cada um dos cinco provadores que integram os painéis do Concurso, com os critérios base de apreciação e pontuação que se encontram identificados na cláusula seguinte e na Ficha de Prova estabelecida pela A.E.P., que integra o presente Regulamento como Anexo número um.

 

9- Tendo presente o exposto no número precedente, a avaliação dos vinhos submetidos à prova cega será efectuada por cada um dos provadores que integrem os painéis tendo em conta os seguintes critérios base de apreciação e tabela de pontuação:

  1. Cor – 1 a 5 pontos;

  2. Limpidez – 1 a 10 pontos;

  3. Aroma – 1 a 10 pontos;

  4. Persistência – 1 a 15 pontos;

  5. Sabor – 1 a 15 pontos;

  6. Intensidade – 1 a 15 pontos;

  7. Final de boca – 1 a 15 pontos;

  8. Apreciação do conjunto – 1 a 15 pontos.

 

10.1- Cada uma das seguintes distinções “Tambuladeira dos Escanções de Portugal” será atribuída em função da média da pontuação final atribuída por cada um dos provadores:

- Tambuladeira de Bronze: de 80 a 84 Pontos de média final

- Tambuladeira de Prata: de 85 a 89 Pontos de média final

- Tambuladeira de Ouro: de 90 a 100 Pontos de média final

10.2. - As distinções a que se refere o número anterior só podem ser atribuídas a um limite máximo de 30% (trinta por cento) dos vinhos engarrafados participantes no concurso.

 

11.1. – A distinção da “Tambuladeira dos Escanções de Portugal”, atribuída nos termos estabelecidos no ponto 10., terá a distinção de “Grande Medalha de Ouro” para cada categoria de vinho.

11.2.- O número de medalhas a atribuir cumpre com o disposto na Portaria n.º 26/2017 - Diário da República, 1.ª série — N.º 10 — 13 de janeiro de 2017, que estabelece as regras complementares relativas à designação, apresentação e rotulagem dos produtos do setor vitivinícola previstos no Regulamento (CE) n.º 110/2008, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de janeiro de 2008, na sua redação atual, no Regulamento (UE) n.º 1308/2013, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 17 de dezembro e no Regulamento n.º 251/2014, do Parlamento e do Conselho, de 26 de fevereiro, com direito ou não a denominação de origem (DO) ou indicação geográfica (IG).

No capítulo IV – Distinções e Medalhas (artigos 22º a 24º), estão identificados todos os requisitos necessários.

 

12- Os resultados serão comunicados, aos respectivos participantes até um mês após a data de realização do Concurso.

 

13- A A.E.P. assegurará a guarda, em arquivo, das Fichas de Prova preenchidas pelos provadores do painel, pelo prazo de 5 anos, de forma a salvaguardar a possibilidade de eventual verificação por parte das entidades competentes, caso o entendam ou pretendam fazer.

 

14.1.- Os participantes são livres de solicitar à A.E.P. os selos respeitantes às Tambuladeiras atribuídas no Concurso, os quais serão emitidos exclusivamente pela A.E.P., sendo o seu custo previamente comunicado aos produtores e cooperativas que os solicitarem.

14.2.- Os selos poderão ser emitidos em várias línguas quando destinados a certos mercados de exportação (mediante orçamento).

 

15- A A.E.P. é a entidade responsável pelo controle dos vinhos e do número de selos solicitados, pelo que apenas disponibilizará aos interessados, os autocolantes respeitantes às medalhas a colocar no rótulo ou contra-rótulo, em número correspondente ao volume declarado na ficha de inscrição.

 

16- Anualmente, e para cada edição do Concurso de Vinhos Escanções de Portugal, a A.E.P., no site e nos demais locais tidos por convenientes, nomeadamente jornais, a data limite e locais de inscrição e respectivas condições, bem como as datas e local de realização da prova cega e de atribuição dos prémios.

 

17.1.- A segunda edição do Concurso de Vinhos Escanções de Portugal decorrerá no dia 2 e 3 de Julho, na sede da AEP, Av. Almirante Reis, nº58 R/C Dt, em Lisboa, com a realização da prova cega no período da manhã (salvo se justifique pela elevada presença de produtos, a prova estender-se-á na parte da tarde).

17.2.- As inscrições para o Concurso de Vinhos Escanções de Portugal decorrerão desde as 08h30 de dia 3 de Maio de 2021 até às 18h00 do dia 30 de Junho de 2021.

17.3.- As inscrições devem ser apresentadas, dentro do prazo estabelecido no número anterior, on-line a partir do site dos Escanções de Portugal, em www.escancao.com , ou por ficha em papel.

17.4. Sem prejuízo do disposto nos dois números anteriores, as inscrições apresentadas só serão consideradas nas seguintes condições: pagamento efectuado, conforme o previsto no nº 6 do presente ponto (17.6.) e entregues seis (6) garrafas de cada vinho presente a concurso, excepto os Generosos e Licorosos (4 garrafas), e Aguardentes (2 garrafas).

17.5. As seis ou quatro garrafas de cada vinho submetido a concurso só poderão ser entregues a partir do dia 3/05/2021 e até ao dia 30/06/2021, na A.E.P. – Associação dos Escanções de Portugal - Avenida Almirante Reis 58, R/C Dtº, 1150-019 Lisboa, entre as 10h00 e as 12h00 e as 15h00 e as 18h00, de 2ª a 6ªfeira.

17.6.- No acto de inscrição cada produtor deverá, por cada selecção abaixo descrita de vinho submetido a concurso, pagar, através da entrega de cheque sacado à ordem da A.E.P (morada de envio: AEP – Av. Almirante Reis, nº58 R/C Dtº 1150-019 Lisboa, ou por transferência bancária PT50 001800005021919400146, a quantia de:

 

Sócios AEP            

1 ou 2 vinhos

50 €

3 ou 4 vinhos

75 €

5 ou 6 vinhos

100 €

Não Sócios da AEP

1 ou 2 vinhos

80 €

3 ou 4 vinhos

120 €

5 ou 6 vinhos

140 €

*os valores apresentados correspondem à opção escolhida e não à unidade (ex: na primeira opção, seja um vinho a concurso ou sejam dois, o valor é sempre de 50€).

Caso o participante concorra com mais de 6 vinhos, o valor será calculado com base nas opções indicadas (ex: num pedido de 7 vinhos a concurso, o valor total será de 150€)

17.7. – As indicações constantes na ficha de inscrição comprometem e responsabilizam o produtor. Não obstante, a A.E.P reserva-se no direito de utilizar os meios legais à sua disposição para confirmar a veracidade das informações prestadas, bem como a autenticidade dos vinhos submetidos a concurso, designadamente no mercado ou junto da entidade certificadora ou do organismo de controlo.

 

18 - A A.E.P. poderá proceder criminalmente contra quem, de forma abusiva, não cumpra o presente Regulamento.

 

19- Integram o presente Regulamento o Selo, a ficha de inscrição e a ficha de prova da A.E.P.

 

20- A A.E.P. reserva-se o direito de, a todo o tempo, modificar o presente Regulamento.

 

21- A participação no Concurso de Vinhos dos Escanções de Portugal pressupõe e significa a integral compreensão e aceitação dos termos e condições do presente Regulamento.

 

O Presidente da Direcção da A.E.P.

José Carlos Serrano Santanita